29 de out de 2010

Filme sobre Sustentabilidade na Mostra SP

De 22 de outubro a 4 de novembro, acontece em São Paulo a tradicional Mostra Internacional de Cinema. Durante duas semanas, a 34ª Mostra exibe mais de 400 títulos dos mais variados países e de diversas cinematografias que estarão sendo exibidos em mais de 20 espaços, entre cinemas, museus e centros culturais espalhados pela capital paulista.

2012 Tempo De Mudança (direção: João Amorim)

A busca de uma alternativa radical às visões climáticas apocalípticas atuais, buscando integrar a sabedoria arcaica de culturas tribais ao método científico. A projeção do nascimento de uma cultura regenerativa, onde a colaboração substituirá a concorrência, e a exploração da mente e do espírito substituiriam o materialismo que domina o planeta. Baseado no livro 2012: The Return of Quetzalcoatl, do jornalista Daniel Pinchbeck.

Unibanco Arteplex 1

Shopping Frei Caneca Rua Frei Caneca, 569 - 3ºpiso, Consolação CEP: 01307-001

240 lugares

29 Out, 21:40

Unibanco Arteplex 5

Shopping Frei Caneca Rua Frei Caneca, 569 - 3ºpiso, Consolação CEP: 01307-001

90 lugares

30 Out, 22:10

Cine SABESP

Rua Fradique Coutinho, 361, Pinheiros - CEP: 05416-101. / TEL.: 5096-0585

271 lugares

31 Out, 14:00Bottom of Form


Leia mais>>

27 de out de 2010

Morte do polvo Paul em anúncio da Onda Azul


Numa era em q a morte animais comove mais do que a morte de seres humanos, a Quê criou esse anúncio de oportunidade pra ONG Onda Azul. E vc? Tb se sensibilizou com a morte do polvo vidente?
Leia mais>>

26 de out de 2010

Já quis reciclar e não soube como?

Esse post é de autoria da Beatriz Mendes dos Santos.

Você também pode entregar seu lixo reciclável às cooperativas da sua cidade (encontre a mais perto da sua casa no site www.rotadareciclagem.com.br)

Há muito tempo atrás eu já queria separar os lixos da casa, reciclar e contribuir com o meio ambiente, no entanto não sabia como fazer. Separar o lixo é relativamente fácil, mas o problema é: onde levá-lo? Durante a semana passa o caminhão de lixo, levando tudo junto. Não sabemos para onde vai, nem o que acontecerá com tanta coisa que dispensamos e que poderia ser reaproveitada. Indignada com o fato de não ter um caminhão que recolhesse os recicláveis, vendo que as pessoas não estavam muito preocupadas com isto e não sabiam também como reciclar, estava em tempo de desistir e deixar as coisas como estavam.

Em fevereiro de 2009, estava lendo um dos exemplares da Revista Sorria, que é uma revista social. Encontrei uma matéria incrível (a matéria está disponível na versão digital da revista, para quem quiser ler Uma cozinha mais verde). A matéria fala sobre a rotina e atitudes que temos na cozinha de casa, além de algumas pequenas providências que podemos tomar para contribuir com o meio ambiente. Em meio à ilustração de página há um quadrinho onde estava o link do site Rota da Reciclagem.

Rota da Reciclagem - Criado pela Tetra Pak e com suporte do Google Maps, o Rota da Reciclagem tem a missão de difundir ao público consumidor o conceito da coleta seletiva e aumentar o volume de material pós-consumo reciclado. O buscador já conta com mais de 2300 iniciativas de coleta seletiva cadastradas entre cooperativas, comércios e pontos de entrega voluntária e também foi referenciado por mais de mil sites. (Este trecho foi retirado do site Cultura ambiental nas escolas, escrito por Andreza Rodrigues - Ogilvy Public Relations, da qual a Tetra Pak é cliente).

A navegação no site é simples e muito informativa. Eu, que não sabia lugar algum para levar meu lixo, descobri através dele vários lugares próximos ao meu bairro entre PEVs (Pontos de Entrega Voluntária), cooperativas e comércios. O site destaca “onde reciclar embalagens longa vida”, mas os locais recebem na verdade todo o tipo de lixo reciclável.

Então, para você que também não sabia como fazer ou você que pretende fazer, esta é minha dica. Logo ao abrir o site terá um campo para você digitar seu endereço. Digite, busque e contribua de forma simples com o meio em que vive.

FONTES http://www.culturaambientalnasescolas.com.br, http://www.revistasorria.com.br, http://www.rotadareciclagem.com.br/index.html
Leia mais>>

21 de out de 2010

Mulher com preço na vitrine chama a atençao para o tráfico humano


Essa eu li hj no Blue Bus. Na vitrine de uma loja em Tel Aviv, Israel, uma mulher carrega uma etiqueta com suas especificaçoes - idade, peso, altura - e também seu preço de venda. A ação foi feita para chamar a atençao para o tráfico de mulheres.

Bem que o Brasil podia fazer uma ação assim, principalmente em alguns países da Europa, para onde muitas meninas (entre 12 e 15 anos) do Norte e Nordeste são levadas para serem comercializadas como se fossem mercadorias. Esse crime hediondo deveria ser objeto de uma lei internacional, pois se trata de um problema global.

Leia mais>>

18 de out de 2010

Rage Against The Machine sauda os operários de Zanon em show na Argentina

Recebi a pouco por e-mail um vídeo onde o Zack de la Rocha claramente dedica uma música aos trabalhadores de Zanon e aos trabalhadores da Argentina como um todo. Zanon para quem não sabe é uma fábrica de cerâmica na Argentina, que foi tomada pelos operários e funciona por meio da autogestão operária: http://zanonsobcontroleoperario.blogspot.com/



Neste contexto, e tendo como sabe o vídeo do SWU: http://www.youtube.com/watch?v=KS_q5iZ63Ho&NR=1, onde ele diz que a luta continua e dedica a música a terra e a liberdade. E este outro: http://www.youtube.com/watch?v=sjO8KDwxWVk&feature=related, onde estão fotos de membros do Rage Against Machine com membros do MST e em várias alusões.

Parece ainda mais real o claro engajamento da banda, assim como mais próxima a perspectiva da Globo ter de fato cortado a transmissão por causa da alusão ao MST.

Para aumentar ainda mais a especulação, fica o pronunciamento do Tom Morello no twitter sobre o SWU que foi:
"Se a rede de tv cortou as cenas que eu aparecia com o boné do MST, é sinal de que estamos vencendo."


Leia mais>>

13 de out de 2010

SWU expõe as contradições de quem vê sustentabilidade como oportunidade de marketing

Publicado originalmente por: www.revistasustentabilidade.com.br por Silvia Dias


Podia ser um divisor de águas, mas será lembrado apenas como mais um festival de música. E mal organizado.

Starts With You - e eis que está acabando o potentoso festival musical que assumiu por nome uma equivocada frase em inglês (afinal, não começa com você, mas com todos nós: uma das diferenças da atual visão de mundo para a visão da sustentabilidade é justamente enxergar o todo, as correlações e corresponsabilidades).

Se o equívoco ficasse apenas no nome bacanudo, poderíamos ter tido um exemplo concreto de como fazer entretenimento de forma sustentável. Mas SWU foi apenas mais um festival de música criado e executado a partir dos velhos paradigmas que não levavam em conta o impacto da ação sobre o ambiente e sobre as pessoas. Pior: foi um festival muito mal organizado.

Como testemunharam vários participantes pelo Twitter (ver, em especial, o http://twitter.com/swuvaitomarnocu), eis que um festival supostamente dedicado à sustentabilidade:1) não tinha lugar para parar bicicleta, apenas carro; cobraram preços abusivos de estacionamento, alegando que seria uma forma de incentivar o uso do transporte público, mas tenho dúvidas, pois se essa fosse a intenção eles teriam providenciado transporte público; porém...

2) porém o festival não negociou com as empresas de ônibus para que colocassem mais carros para fazer a viagem até Itu;

3) e também não forneceu transporte coletivo entre a fazenda onde ocorria o evento e a rodoviária de Itu, transformando a volta do primeiro dia de evento em um verdadeiro caos;

4) vendia água a R$ 4,00 ao invés de oferecer água filtrada;

5) oferecia copo de plástico junto com a lata de cerveja, a R$ 7,00 cada;

6) e se não pensou em reduzir os itens a serem descartados, tampouco cuidou de oferecer latas de lixo em quantidade suficiente para dar conta do descarte gerado pelos 50 mil frequentadores;

7) não se deu ao trabalho de oferecer um menu diferenciado, de menor impacto ambiental, e repetiu o velho padrão de salgadinhos-hamburgueres a preços abusivos;

8) aliás - detalhe insano! - os policiais que fizeram a revista dos participantes tiraram todos os alimentos que as pessoas levaram, formando inacreditáveis pilhas de comida que não seriam aproveitadas e obrigando os participantes a adquirir alimento no evento a preços exorbitantes; a menos que eu me engane, não existe qualquer legislação que apóie esse tipo de conduta arbitrária que, portanto, é ilegal, além de nada sustentável;

9) a compra de comida e bebida se dava pela aquisiçao de fichas, como em quermesse escolar, sendo que não avisaram os frequentadores que as fichas de um dia não valiam para os demais dias... - minha escola estadual de periferia sabia fazer serviço melhor!;

10) insistiu na política da desigualdade econômica, implantando uma inviável pista VIP.

Como vários blogues de pessoas que foram ao evento testemunham, fica muito difícil passar adiante qualquer mensagem de sustentabilidade quando ela não é praticada por quem a prega. Não adianta colocar instalação com garrafas PET recicladas ou estandes de ONGs se não houve cuidado, na organização, para reduzir o lixo, a pegada de carbono, a desigualdade social entre os participantes. Nem o tal do Fórum se salvou, pois não era transmitido fora da tenda onde ocorria (pois é, não havia telão!) e, por isso, só alcançou um percentual muito pequeno de participantes.

Entre feridos e desapontados, quem mais perdeu foram as empresas que se envolveram com esta ação. Pois a falta de consistência com o que significa sustentabilidade foi claramente identificada pelos participantes e não prejudicou o conceito em si, que permanece desejável. Qualquer dúvida a este respeito, favor consultar o fenômeno Marina no primeiro turno das eleições presidenciais. Prejudicou, sim, a imagem dos organizadores e patrocinadores que, ao financiar abordagens rasas e oportunistas, perdem em credibilidade.

A quem interessar possa: por trás do oportunismo travestido de sustentabilidade existe um publicitário famoso, chamado Eduardo Fischer, que atende a conta da Monsanto - aquela, das sementes transgênicas. E como tuitou a jornalista @flaviadurante: "Só vou acreditar que o Eduardo Fischer se preocupa com a sustentabilidade quando a agência dele abrir mão da conta da Monsanto".

#SWUFAIL!


Leia mais>>

5 de out de 2010

SWU - Começa com você

Esse post é de autoria da Paula Rumachella.

“SWU (Starts With You – Começa Com Você) é um movimento de conscientização em prol da sustentabilidade que tem o intuito de mobilizar o maior número possível de pessoas em torno da causa, mostrando que, por meio de pequenas ações, com simples atitudes individuais do seu dia a dia, é possível ajudar a construir um mundo melhor para se viver.” Esse movimento teve a iniciativa de Eduardo Fisher, presidente do Grupo Totalcom.

O movimento já angaria dezenas de engajados como SOS Mata Atlântica, Greenpeace, Care, Projeto Guri, Eco Urbana entre tantos outros. Alem dos vídeos institucionais lançados e inserções em mídia indoor, bota bitucas estão sendo entregues em universidades e nas ruas, como forma de incentivo para fumantes que insistem em jogar suas bitucas no chão. Mas a parte que tem recebido mais atenção é o Festival SWU Music+Arts 2010 que acontece em Itu, na fazenda Maeda nos dias 9,10 e 11 de outubro.

Além de bandas como Rage Against the Machine, Dave Mathews Band, Tiësto, Los Hermanos, o festival contará com exposições de Frans Krajcberg e Eduardo Srur, este último responsável pelos caiaques no rio Pinheiros em 2006. Durante os três dias de eventos o público poderá fazer parte do Fórum Sustentável, uma parceria com a Nestlé, onde políticos, pensadores, empresários e representantes de ONG’s discutirão sobre os principais temas de sustentabilidade para o séc. XXI.

O vídeo abaixo foi o último lançado pela campanha no dia 22 de setembro, a trilha é uma música cedida pela banda Dave Matthews Band chamada “You and Me”.


Leia mais>>

3 de out de 2010

Vende-se um pedaço do meio ambiente!!!! Akatu mostra até q ponto as pessoas (não) se preocupam com as consequências de seu consumo.

Este post é de autoria do Luiz Fernando Severo Santos, sobre um case apresentado pela Lew'Lara/TBWA na 11a Semana de Publicidade-PUC-SP.

Quer sentir o prazer de morar em um apartamento construído em uma praia do Guarujá? Ou no maravilhoso Pão de Açúcar do Rio de Janeiro? E que tal no Lago Paranoá, cartão postal de Brasília, Distrito Federal? A Lew’Lara/TBWA, umas das mais renomadas agências de publicidade do Brasil, criou para o Instituto Akatu, ONG com foco no consumo responsável, uma campanha que ofereceu esses lançamentos imobiliários "fakes" - sonhos que habitam a cabeça de muitos que se preocupam apenas com o consumo e esquecem das conseqüências. É fato que é tentador abrir a janela do seu apartamento em um dia maravilhoso de sol, e se deparar com a vista linda para o mar, mas onde fica o bom senso???? Se todos têm o direito de aproveitar conscientemente as belezas naturais do Rio, Floripa, Brasilia e Recife, seria incabível uma construção que transformasse algo público em um bem privado, sem falar em toda a degradação que o meio ambiente sofreria se tais construções fossem reais.

O pior é perceber que há muita gente que, como mostra o vídeo abaixo, compraria sem o menor peso na consciência para satisfazer um desejo! Justamente o contrário da mensagem que a ONG Akatu promove e quer tornar público: o CONSUMO CONSCIENTE.

Vale ressaltar que a Lew’Lara/TBWA inovou no seu modo de transmissão de mensagem, criou stands nas praias, e divulgou os lançamentos como se fossem reais, o que atraiu a atenção de centenas de consumidores que, seduzidos pelas maquetes, mostrou do que o ser humano é capaz quando tem a oportunidade, o desejo e o Money .

Da campanha, fica a mensagem de até onde as pessoas podem ir pelo fetiche do consumo. Agora responda e comente, você compraria um apartamento desses? Veja o vídeo.



Leia mais>>

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails