29 de set de 2010

Consumo inteligente da água

Este post é de autoria da Patricia Perressim

Todos sabemos que a água, mesmo de extrema necessidade para a sobrevivência, é pouco valorizada no nosso cotidiano. Estima-se que em menos de 30 anos a água potável terá um preço absurdamente alto, e se formos pensar proporcionalmente, o que são 30 anos? pouquissimo tempo ... A realidade é que se tudo continuar como está, nossos filhos, sobrinhos e netos não terão nenhum vestígio do que nós usamos sem consciência antes.
Então porque não usar a água de forma inteligente? O destino das águas da chuva pode ser positivo ou negativo ... a água pode ir esgoto abaixo, em lavagem de carros e calçadas, em banhos e descaragas demoradas, e até em torneiras abertas durante a escovação dos dentes ou que pingam o dia todo. Mas se essa água fosse poupada, sobraria para o consumo do que é realmente necessário como: beber água, preparar alimentos, tomar banhos rápidos, lavar louças e roupas etc.

No Brasil há uma contradição em relação a água: nosso país tem 53% de água doce da América do Sul e o maior rio do Planeta, o Amazonas, mas, por outro lado é um dos países que mais desperdiça água no mundo. Como apenas 0,65% da água do planeta é água doce, própria para o consumo humano, uma das soluções mais apropriada é desenvolver tecnologias para transformar água salgada em água doce.

Esta é uma propaganda produzida pela WWF que usa o slogan "Adote uma atitude pelo planeta" que mostra que a próxima geração poderá fazer o que a nossa não fez. O problema é saber se já não será tarde demais.


Leia mais>>

28 de set de 2010

Quanto vale?

Este post é de autoria da Patricia Mayumi Yoshizumi.

Na 11ª semana de Publicidade e Propaganda da PUC-SP, Guilherme Frioli e Gustavo Gaion (agência AlmapBBDO e Ogilvy respectivamente) apresentaram um case muito interessante.

Qual seria sua reação se depois de um happy hour com os amigos, onde sempre se bebe umas cervejinhas depois do trabalho, você se deparasse com uma conta de, sei lá, 73 mil reais?

Susto? Raiva do caixa que te passou a conta errada? Como assim pagar 73.000 reais por algumas bebidas? Quando mexemos com dinheiro, fica fácil chamar a atenção de quem paga a conta.

Por isso, uma ação produzida pela agência Ogilvy, para o Bar Aurora, cobrando de seus clientes valores exorbitantes causou diversas reações, que você confere no vídeo abaixo.

Depois de ver esse vídeo, você parou para pensar nos gastos causados pelos acidentes que ocorrem porque as pessoas insistem em dirigir depois de beber? Você pagaria os 73.000 reais ou até mais para salvar a sua vida não é? Então pense no quanto vale não só a sua vida, mas também a vida de milhares de pessoas que se envolvem em acidentes, e não só as que foram para um bar beber, mas também aquelas que estavam voltando pra casa depois de um dia de trabalho ou de estudos e tiveram o azar de cruzar com alguém que dirigia embriagado. Pensou? Então agora que se conscientizou e não precisa pagar os 73 mil reais da conta do bar, q tal chamar aquele amigo que agora você acha que cobra baratinho? “TÁXI!!!!”...


Leia mais>>

25 de set de 2010

Como convencer as pessoas a usarem bicicleta e não carros? Ação SulAmérica responde.

Esse post é de autoria da Thaissa Sá Freire.

Durante a 11ª Semana de Publicidade da PUCSP, tivemos uma palestra muito interessante com o Diretor de Arte da Agência Santa Clara, Luter Filho. Entre muitos cases apresentados e até mesmo histórias pessoais para ilustrar que um publicitário tem que exercitar sua percepção, ele foi mais além, demonstrando que é necessário sensibilidade e ousadia.

Fazendo uso do tema Job ruim, ele nos mostrou que na verdade não existem jobs ruins, existem problemas a serem decifrados, um desafio a ser vencido pelo comunicador. O que ele quis demonstrar é que surgirão muitos cases pequenos a serem resolvidos. E que são neles que devemos focar, e nos ater as grandes possibilidades que eles proporcionam, fazendo uso de toda nossa sensibilidade e observação.

Um dos cases apresentados e que tomo como exemplo é uma campanha da SulAmérica Auto criada pela agência MPM Propaganda. Entre as várias peças criadas, uma ação chama atenção por ter conseguido cativar a população do Rio de Janeiro com um serviço que alia a preocupação com a ecologia e a conhecidíssima relação de carinho que o carioca tem com a Cidade Maravilhosa. O intuito era criar novos bicicletários para a cidade e fazer com que as pessoas aderissem a esse novo hábito, pois andar de bicicleta é a melhor alternativa ao uso do automóvel. Sem verba para desenvolver uma grande campanha, a SulAmérica juntou-se a Havaianas para desenvolver algo verdadeiramente impactante. Partindo de algo inicialmente insosso, eles chegaram à solução criativa e inovadora. Em vez de partir da tradicional ideia de distribuir flyers, o que é completamente contrária à ideia de Sustentabilidade, defendida desde o início do projeto.

A partir de uma ideia da agência MPM e a Sul América, em parceria com as Havaianas produziu vários chinelos de borracha que funcionavam como carimbo, ou seja, o próprio chinelo ‘carimbava’ o slogan VÁ DE BIKE na areia, chamando as pessoas a passar nos bicicletários que estavam dispostos pela orla carioca. Além de distribuir os ‘chinelos-carimbo’ para as pessoas que freqüentavam as praias, eles fizeram com que elas participassem ativamente da campanha.

A reação a uma proposta que inicialmente era mais do que um case como outro qualquer, sem um atrativo, tornou-se uma campanha de audácia. É exatamente por isso que não devemos nos ater aos problemas pequenos, mas enfrentá-los como se fossem grandes. A SulAmérica Auto não teria capital para desenvolver uma campanha que veiculasse nos meios de mídia. Entretanto, o que seria um problema, gerou lucro e mídia espontânea, visto que as próprias pessoas divulgaram o projeto.

Para mim, foi uma sacada genial! Eu particularmente não daria nada para um case assim. É aí que temos que estar atento às possibilidades e ver que o nosso trabalho é bem mais do que criatividade, é sensibilidade, percepção e muita ousadia.






Leia mais>>

23 de set de 2010

Caos no trânsito no dia mundial sem carro

Esse post é de autoria da Patricia Yoshizumi.

“No Dia Mundial Sem Carro, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrava 68 km de lentidão na capital paulista por volta das 8h30 desta quarta-feira (22).”

“Após dia de caos, Linha Vermelha do Metrô de SP tem novo problema. Vagão apresentou falha em sistema de suspensão na Estação Sé. Passageiros foram retirados e trem ficou 8 minutos parado na estação.”

Esses são trechos retirados do site da Globo e nos dão uma ideia de como o transporte da cidade de São Paulo vai de mal a pior. Muitos especialistas afirmam que a cidade vai parar em 2012 por falta de espaço nas ruas e avenidas para a circulação de carro. A solução para muitos urbanistas é que as pessoas deixem os carros em casa e utilizem mais os transportes públicos.

Mas como exigir que as pessoas deixem os carros na garagem quando o transporte público não atende às necessidades de cidadãos que só querem chegar no horário ao trabalho ou à escola? Se for para ficar horas no trânsito é muito melhor ficar no conforto do seu carro, ouvindo música do que em pé num ônibus ou metrô lotado nos quais as pessoas já estão estressadas. Isso sem citar as chuvas, que só aumentam o caos.

Uma solução para os problemas no transporte público parece cada vez mais distante. Os preços das passagens aumentam, mas o transposte não melhora. Ninguém que tenha condições de manter um carro vai querer deixá-lo em casa para ficar esperando um ônibus no qual, por vezes, você nem consegue entrar, por falta de espaço, e precisa esperar o próximo.

Já passou da hora de parar de falar e começar a agir. Dizer que a cidade vai parar em 2012 e se conformar com isso é comodismo. Falar sobre um problema é fácil, mas o que estamos fazendo para encontrar uma solução?

Podemos começar cobrando da prefeitura, pois os votos da maioria dos cidadãos colocaram no poder quem os representaria e é mais do que justo que tenham direito de reivindicar. Pagamos impostos e passagens para que o transporte nos atenda de maneira satisfatória e podemos e devemos sim exigir uma solução para quem elegemos não é? Agora, se você não se lembra em quem votou na eleição passada, está na hora de se conscientizar para votar nessa eleição e colocar no poder alguém que lute por ideais nos quais você acredita - como uma cidade com um trânsito melhor, por exemplo.


Leia mais>>

19 de set de 2010

Famosos na Política

Este post é de autoria do Luiz Fernando Severo Santos.

Falar de política não é fácil, há aqueles que usam o velho bordão “política e futebol não se discute” para sustentar suas opiniões. Há os que seguem fanaticamente seu candidato e não estão abertos ao diálogo e, claro, há ainda aqueles que não se interessam pela política, mas vamos refletir... Como não falar de representantes que elegemos e por obrigação devem ser responsáveis e estarem cientes de que a população precisa deles tanto quanto eles precisam dos cidadãos para se elegerem? Nesta eleição de 2010 apareceram vários candidatos que através da mídia conseguiram sua fama e através da sua imagem pública querem ser eleitos, e é disso que vamos falar: a febre dos “candidatos celebridades” se encontra principalmente nos estados Rio de Janeiro e São Paulo, e inclui “mulheres frutas” concorrendo a Deputada, ex- apresentador de programa de televisão (Netinho que já foi vereador de São Paulo), cantor de grupo Pop (Kiko do grupo KLB), e claro, Tiririca com seu bordão “Pior do que está não fica”.

Não vou entrar no mérito se algum destes candidatos é um candidato sério com ideais e perspectivas que poderiam de fato contribuir para a política brasileira, pois a maioria parece não diferir muito dos nossos atuais representantes, mas o mínimo que poderia ser feito é a desvinculação da imagem pública na candidatura, afinal, não queremos cantor, dançarina, apresentador ou humorista no Senado ou Câmara dos deputados, ou para qualquer cargo de responsabilidade pública, queremos pessoas sérias e comprometidas com a melhoria de uma nação.

A mensagem que fica é se nos vamos assistir a mais este uso deturpado do que é democracia, onde todos podem fazer o que querem com o bordão de que o Brasil é livre! Não foi por esta democracia que lutamos, esse sistema que virou uma bagunça pelo mau uso da liberdade do “poder fazer”. Reflita e pense se você vai eleger um personagem do show business para reger o Estado, porque um país que passou por ditaduras e repressões sabe que pior que está, fica sim.


Leia mais>>

16 de set de 2010

Parques eólicos são destaque de leilão de energia renovável, que fecha com contratação de 90 usinas limpas.

Esse post foi indicação do Matheus Paiva Machado (notícia veiculada no site do Greenpeace em 26/8/2010).

Governo, empreendedores e distribuidoras do setor de renováveis estiveram reunidos entre os dias 25 e 26 de agosto em uma negociação pelo futuro da nova energia ofertada para o Brasil nos próximos três anos. O resultado final dos dois dias de leilões de energia pode colocar o Brasil na lista dos dez países do mundo com maior capacidade instalada de eólicas na matriz elétrica.

As 71 usinas contratadas no leilão de energia eólica do ano passado, somaram-se outras 70, com maior potência total de geração de energia. O preço médio de contratação ficou em R$130,86/MWh o que consolida eólica como a segunda fonte mais barata do país. Participaram também pequenas centrais hidrelétricas (PCHs), com sete usinas vencedoras, e térmicas à biomassa, com doze. As térmicas fósseis, presentes nos leilões anteriores, onde foi negociada a energia que hoje suja a matriz elétrica nacional, felizmente ficaram de fora.

“O Brasil tem potencial de se tornar um país totalmente renovável. A energia hidrelétrica tem limitações para o crescimento, por conta dos seus impactos sociais e ambientais”. diz Ricardo Baitelo, coordenador da Campanha de Energia. “Já a eólica tem toda a sua expansão pela frente. No Brasil, venta o suficiente para produzir até 300 mil MW de energia, o que seria mais do que suficiente para abastecer todo o país”.

A disputa entre os empreendimentos terminou com a contratação de 2.892,8 MW de potência, cerca de 2% da matriz elétrica atual do Brasil, ou mais do que duas usinas de Angra 2 somadas, a um preço médio de R$133,56 por MWh. Apesar do bom desempenho de eólicas, o preço médio negociado foi insuficiente para contratar números mínimos de usinas de biomassa e PCHs.

Ainda assim, o resultado sinaliza boa vontade do governo em promover o desenvolvimento da indústria de renováveis no país. “Os leilões deste ano reforçam a tendência de desenvolvimento e há compromisso de que venham a ser mais freqüentes”, conclui Baitelo.
Leia mais>>

15 de set de 2010

A Amazônia precisa da nossa mobilização

Abaixo está o video narrado pela atriz Dira Paes sobre a construção de Belo Monte.



Para assinar a petição contra a construção da usina, clique aqui.
Leia mais>>

6 de set de 2010

#DilmaFactsbyFolha

Aviso: Antes de começar o post quero deixar bem claro que ele não vem em sentido de fazer coro a campanha da Dilma, por motivos variados que posso até mesmo escrever em outro post, ela não é a minha candidata.

#DilmaFactsbyFolha  é o fenômeno político das vez no twitter após a matéria de ontem da Folha de São Paulo que dizia: Consumidor pagou R$ 1 bi por falha de Dilma.

  Fazendo uma análise bastante superficial, desconsiderando a ação do PIG (pt.wikipedia.org/wiki/Pig) assim como os conflitos da Dilma com o jornal nitida neste vídeo: 




e em outras reportagens da Folha, assim como repostas inflamadas de blogueiros tentando trazer outro ponto de vista, como neste caso: 

g7ceara.blogspot.com/2010/09/o-jonal-folha-de-sao-paulo-perdeu-sua.html e neste caso: www.conversaafiada.com.br/antigo/?p=9859

Esquecendo disto tudo, a manchete foi infeliz por que desconsiderou que o erro não foi gerado pela pessoa, mas por toda uma equipe que compõe a Casa Cívil, assim como por brechas legislativas que tornaram a ação do executivo mais complexa e passível de erros de interpretação. 

Pois bem, erro não passou despecido, e a twitosfera tratou de equilibrar a questão, e reagiu colocando a tag: #DilmaFactsbyFolha  no trending tópicos da rede no Brasil: tido o que aconteceu foi que a manchete, que por sinal não conseguiu se relacionar com a reportagem em sí,  e foi amplamente contestada no twitter por meio da tag #DilmaFactsbyFolha , que até o meio da tarde estava entre os tópicos mais buscados do site: blablabra.net.

O saldo que ficou disto tudo foi que a Folha de São Paulo, um jornal já malvisto entre muitos jornalistas, com ligações evidenciadas com a Ditadura Militar, a mesma que chamou a nossa ditadura de Ditabranda, e agora, caiu de vender manchetes para combater imagem da Dilma,  foi considerada morta no twitter.

Se quiserem ter uma noção do estrago, acessem a seguinte busca:

http://search.twitter.com/search?q=%23DilmaFactsbyFolha+


Leia mais>>

2 de set de 2010

Dorina Nowill nos deixa uma história e um exemplo

Confesso que nunca tinha ouvido falar em Dorina Nowill até q duas alunas da Belas Artes decidiram fazer uma campanha para Fundação dela no âmbito da disciplina Criação Publicitária. Foi então q eu conheci sua história de superação.

"Na década de 30, Dorina ficou cega de repente. Em quatro meses, não enxergava mais o mundo físico, o que não a impediu de ver longe, muito longe.

Estudou, especializou-se no exterior e se casou. Sentindo na pele as dificuldades do deficiente visual, lutou incessantemente por ele. Expandiu a literatura em braille em nosso país e colaborou com mudanças de leis em relação ao deficiente, como tornar obrigatória sua educação no Brasil.

Comandou de 1946 até os dias de hoje a Fundação Dorina Nowill para cegos. Nem a idade avançada tirou-lhe o entusiasmo e a força. Isso tudo, criando uma família de cinco filhos." (trecho retirado do G1, por Ana Cássia Maturano)

Dorina foi capaz de atuar em prol dos deficientes muito antes da sociedade civil se organizar para lutar por políticas de inclusão. Ela é e será sempre um exemplo inspirador para todos que se engajam em causas sociais e ambientais.


Leia mais>>

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails