2 de abr de 2012

Quando a propaganda passa do limite.

Este post é de autoria de Luiz Fernando Seviero.

Creio que, como bons publicitários e comunicadores, devemos reconhecer quando a propaganda passa do limite. Até mesmo quem não tem um conhecimento técnico ou estuda durante 4 anos os fundamentos, táticas e métodos de influência, sabe quando a mensagem extrapolou o limite do bom senso e até mesmo passou a margem de tolerância.
Está aí um bom exemplo do que não se fazer na publicidade, já que, sem levantar bandeiras e expor argumentos históricos, todos sabemos quem foi Hitler. Para vocês leitores fica uma perguntinha vinda de um amigo e colaborador do Publizität: Será que Hitler é o melhor exemplo de masculinidade?



Fontes: 

3 comentários:

Rafael Figueiredo disse...

Mas ela tem que ter limite. E parece que tem gente que concorda com isso. Uma outra agência da Turquia fez um anúncio e uma nota em repúdio à marca de xampus e aos colegas de profissão que se prestaram a esse papel.

http://adnews.uol.com.br/pt/publicidade/agencia-responde-a-campanha-com-hitler.html

http://www.bluebus.com.br/show/1/109450/ag_ncia_turca_condena_comercial_que_usa_imagens_de_hitler_para_vender_shampoo

http://adland.tv/ooh/farkyeri-ad-agency-declares-they-are-not-men-response-offensive-hitler-mens-shampoo-ad

Luiz Fernando disse...

Concordo Absolutamente com você Rafael. Vendo o anúncio que você indicou agora!

Mirna disse...

Na televisão há muitas propagandas. Há alguns boa publicidade ou outros não são. Eu acredito que os marqueteiros devem saber os limites quando eles desenvolvem um publiciad. Alguns anos atrás, eu vi uma propaganda de shampoo a seco incrível, não ofender ninguém e transmitiu o que queria.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails