13 de out de 2009

Uma anedota russa

Sempre apreciei a literatura universal, por diversos motivos. Um deles - talvez o maior - é o realismo com que os grandes escritores retratavam a sociedade, como forma de explicitar seus problemas e vícios.

Dostoiévski, em seu Recordações da Casa dos Mortos, conta através de um dos personagens uma anedota muito interessante, que ajuda a refletir bastante sobre a responsabilidade na comunicação:

Havia um circo itinerante que possuía um palhaço muito talentoso, que fazia até as pessoas mais sérias da cidade se renderem às suas caretas e piadas. Certo dia, o circo se apresentaria em uma pequena cidade, e seu sucesso era tão grande que a população inteira estava na plateia.

Minutos antes do início do espetáculo, começou um incêndio no circo. O diretor do circo, ao perceber a gravidade do assunto, enviou o palhaço ao picadeiro para dar a notícia, acreditando que este chamaria melhor a atenção das pessoas. Todos acharam que era uma piada e começaram a rir, enquanto o palhaço gritava e gesticulava desesperadamente. Foi nesta noite que todos na cidade de [...] morreram queimados no incêndio, e nunca mais se ouviu falar neste circo.

Este trecho, aparentemente sem muita relação com o resto da história, representa muito pra mim. Foi um divisor de águas, onde passei a buscar entender o que é responsabilidade na comunicação e como seu uso afeta a vida de centenas, milhares, milhões de outras pessoas.

Fica então a dica de leitura. Para saber mais sobre a vida e obra de Dostoiévski, vá a Wikipedia. Mas para aprender realmente com sua obra, vá a uma biblioteca.

0 comentários:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails