15 de mai de 2009

MP contra o filme da Brahma com Ronaldo

Eu evitei fazer esta critica porque parece a mesma critica de sempre, em relação aos publicitários que não tem nenhum escrúpulo como o Nizan Guanaes, que associa qualquer coisa a qualquer fato unicamente para vender um conceito. Acabei não falando nada, mas fiquei feliz de saber que houve uma repercursão critica em relação ao filme, e em particular estou torcendo para que saia a indenização merecida.


Ministério Público Federal ajuiza ação contra a propaganda da Brahma com o jogador Ronaldo

Publicada em 15/05/2009 às 17h33m
Lino Rodrigues





SÃO PAULO - O Ministério Público Federal em São José dos Campos, no interior paulista, ajuizou na última segunda-feira ação civil pública pedindo a condenação por danos morais e coletivos da Ambev e da África Publicidade pela produção e veiculação nas emissoras de televisão do comercial em que o jogador Ronaldo, do Corinthians, aparece como garoto-propaganda da cerveja Brahma, segunda marca mais vendidas no país. Para o MPF, o filme - que está no ar desde o início de março - desrespeita o Código de Autorregulamentação Publicitária e fere o princípio da responsabilidade social por induzir os mais jovens a consumir bebida alcóolica.

Na ação, o MPF pede indenização em valor "condizente com o milionário volume financeiro envolvido". O procurador da República em São José dos Campos, Fernando Lacerda Dias, autor da ação, disse que não aceitará valor indenizatório inferior a R$ 1 milhão - dinheiro que iria para o Fundo Nacional Antidrogas ou para o Fundo de Direitos Difusos, mantidos pelo Ministério da Justiça.

A Ambev chegou a fazer uma nova versão do comercial, que saiu do ar na quinta-feira, onde Ronaldo trocou a palavra "brameiro" por "guerreiro" e deixou de fazer o brinde com o copo do produto, na tentativa de descaracterizar a influência do jogador no consumo da bebida pelos telespectadores. A primeira versão, que foi ao ar no dia 9 de março, foi substituída no início de abril.

Assista ao vídeo da 1ª versão do comercial

- Essa mudança até reforça a tese da ação civil pública de que havia desrespeito ao Código de Autorregulamentação Publicitário e as normas do Conar - afirmou Dias.

Para o procurador, o comercial "Ronaldo 2009", independente da versão, não está preocupado em difundir a marca e muito menos as suas características, mas sim associar o consumo de cerveja ao sucesso do jogador, que ficou afastado dos campos de futebol por problemas de lesão, mas voltou a jogar há dois meses e foi um dos responsáveis pelo título do Campeonato Paulista conquistado pelo Corinthians.

- Não há nenhuma dúvida de que o comercial, através de sua mensagem, induz o consumidor a pensar, de forma consciente e inconsciente, que aquele produto está de alguma forma associado a um maior êxito profissional e induz no consumidor o pensamento de que aquele que é batalhador deve beber a cerveja anunciada - afirmou Dias.

O procurador de São José já havia movido outras ações contra as cervejarias. No Carnaval deste ano, ajuizou uma ação condenatória (indeferida pela Justiça) contra a Skol, outra marca da Ambev. Também mantém outra ação contras as cervejarias com o objetivo de discutir judicalmente a resposabilização civil pelo crescimento dos danos sociais e individuais induzidos pelos comerciais de cerveja.

A Ambev informou, via assessoria, que só irá se manifestar depois que for notificada pelo MPF. Já a África, agência que tem à frente o publicitário Nizan Guanaes, que assina a direção de criação do comercial, afirmou, também por meio de sua assessoria, que as explicações sobre o assunto serão concentradas na Ambev.

Fonte: Globo.com

4 comentários:

Gabizzy disse...

Confesso que achei o comercial bem roteirizado e bem escrito... a arte como um todo (texto e enfim...) eu achei legal. Mas confesso que me espantou a associação ao jogador de futebol. Além da incitação aos mais jovens para o consumo de álcool, há a questão delicada de associar cerveja (que td mundo sabe que causa dependência entre outros tantos males nao só à saúde de quem consome).

Conceição disse...

Irresponsáveis todos. A Ambev, a Africa e o próprio Ronaldo, q deu uma bola fora. Tb torço para o MPF sair vitorioso da ação.

Rafael Figueiredo disse...

Eu acho esse conceito da Brahma ridículo desde o primeiro comercial. Funcionalista, claro. Efetivo, com certeza. Mas, pra mim, dissimina um conformismo absurdo. O brasileiro já tem na cultura um orgulho por driblar as adversidades, mesmo que elas não devessem existir. Sempre o "jeitinho" ao invés da resolução. Aí vem a campanha e fala "tudo bem você ganhar pouco, trabalhar muito, você é brasileiro, guerreiro, brameiro. Tá tudo certo, beba sua cerveja."

Anônimo disse...

Mensagem subliminar deixou de ser discreta então? Em tempos onde o incentivo a não-violência, ao futebol-sadio e familiar seriam o UP da vez -- para ao menos tentar mostrar ao mundo que podemos ser civilizados.... mas não a Brahma tira das entrelinhas o fato de que podemos ser: "guerreiros" e intolerantes a pondo de sermos violentos. Uma lástima para a publicidade brasileira! A equipe de marketing e criação envolvida perderam a oportunidade de fazer um bom trabalho!!!! Já não chega os torcedores imbecís e estúpidos, vem agora os publicitários da Agência Africa que os incentivam a serem ainda mais, porque falando bem ou falando mal, acontecendo o bem e o mal, a marca Brahma estará lá, projetada mesmo -- dinheiro no bolço, tudo certo!! .... ops!!! esqueci, isto é Brasil não é Africa?

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails