2 de abr de 2009

A classe C não valoriza o gosto da Classe A

Esse post é de autoria do Luiz Marinho, publicada dia 31/3 no ótimo site Blue Bus, referência na área da propaganda.
"Estudos recentes sugerem que as velhas táticas utilizadas pelas marcas para falar com os consumidores da ‘Nova Classe Média Brasileira’ podem nao estar mais surtindo os efeitos desejados. Na maioria das vezes, os argumentos usados na comunicaçao com essa gente têm sido os aspiracionais. Funciona assim – você mostra um cenário bacana, pessoas bonitas, artistas conhecidos e dá a entender que se o sujeito usar aquele produto vai se sentir parte daquele mundo e usufruir daquele status. Em síntese, a marca funcionaria como um aditivo que, incorporado a personalidade do consumidor, faria com que ele se sentisse uma pessoa diferente. Entretanto, alguns pesquisadores tem chamado a atençao do mercado para uma importante mudança no comportamento de compra dos brasileiros de baixa renda. Um desses estudiosos do consumo é Haroldo da Gama Torres, do DataPopular, com quem conversei longamente algumas semanas atrás. Todos sabemos que por meio das nossas escolhas nós expressamos nosso estilo de vida, uma atitude e a imagem do que somos ou de como queremos ser percebidos. Porém, segundo Torres, o consumidor de Classe C parece mais preocupado em oferecer conforto e prazer para si mesmo e para os seus do que em ostentar prestígio para os outros. Prova disso seriam as próprias residências dessas pessoas - mal acabadas por fora e cada vez mais bem equipadas por dentro, com televisores, computadores, aparelhos de som e outros apetrechos modernos. Pesquisas recentes confirmam que mesmo que os brasileiros de classe C ganhassem um dinheirao, continuariam a morar no mesmo bairro e manteriam o mesmo senso estético. Apenas fariam um upgrade nas marcas, contudo sem deixar de ser quem eles sao. Essas constataçoes sinalizam que a nova classe media brasileira nao está tao interessada assim em viver naqueles cenários chiques mostrados pelas novelas da TV. Eles também nao acreditam nos testemunhos de artistas que sabem que dificilmente frequentariam lojas populares ou usariam produtos mais baratos. Este é um desafio e tanto para as marcas que tem na classe C o seu foco – se identificar com essa gente, valorizar as coisas das quais eles se orgulham e falar a mesma linguagem."
Ou seja, nem mesmo a TV e as campanhas publicitárias estão conseguindo hoje, como já o fizeram um dia, definir o "senso comum do gosto". Será que isso tem a ver com a recente mediatização da cultura pop e popular, presente em programas como Central da Periferia, e outros ligados ao Hip Hop, Forró e Tecnobrega???? Acho que sim, e muito. E detalhe, a crise chega bem menos nessa classe, onde o poder de consumo tem mais a ver com a informalidade e a criatividade das trocas. Então, os publicitários do núcleo Berrini, se quiserem manter seus empregos, que tratem de se misturar com outros núcleos, do Capão Redondo, da Brasilândia, de Itaquera etc.

3 comentários:

Mura disse...

No final das contas, o produto vinculado pela publicidade só tem um objetivo: agregar valor e identidade para aquele que compra. Não importa qual o alvo dele e a segmentação de mercado porque o objetivo será sempre esse de criar identidade.
Sendo assim, quando alguém da tal "classe C" procura programas de televisão que tenham mais a ver com a "sua identidade própria", ele não está sendo nem um pouco diferente do pessoal da "classe A", que também procura ser alguém diferente da "Classe B", "C", "D" até a "Z".

Alexandre Passos disse...

Aredito que a classe "C" está mais informada e mais exigente, principalmente pelo fato do "valor" que a compra de um determinado produto ou serviço tem para ele. O produto tem que ter acima de tudo qualidade, pra fazer valer o dinheiro investido. Eles compram porém querem satisfação.
Um bom sinal que este consumidor não é mais bobo.

Ebook Revenda: http://ebookrevenda.ueuo.com disse...

QUER GANHAR DINHEIRO COMPRANDO DA CHINA



Você gostaria de comprar produtos direto da china a preços muito baixos? Vender esses produtos em sites de leilão como o Mercado Livre e outros e tudo sem nehum trabalho, sem precisar de estoque, sem gastar nada para comprar os produtos e sem ter que ficar enviando produtos? O material do site mostra como você pode Ganhar Dinheiro trabalhando na internet sem sair de Casa, visite o site:
http://www.onlinerenda.com.br/importar-da-china.htm





como importar produtos dos estados unidos
download como importar da china gratis
aprenda a importar da china
aprenda importar da china
comercio da china
como exportar e importar
como importar
como importar celulares
como importar china
como importar da china
como importar da china para o brasil
como importar direto da china
como importar dos estados unidos
como importar dos eua
como importar eletronicos
como importar perfumes
como importar produtos
como importar produtos da china
compra da china
compra dos estados unidos
comprar da china
comprar direto da china
comprar dos estados unidos
compras dos estados unidos
compre dos estados unidos
direto da china dos eua
exportar importar
importacao da china
importador da china
importadoras da china
importadores da china
importados da china
importar
importar celular
importar celular da china
importar da china
importar da china download
como comprar da china
comprar direto da china
como comprar direto da china
comprar celular da china
comprar produtos da china
comprar da china pela internet
como comprar produtos da china
como comprar direto da china para revender
comprar da china para revender
comprar direto da china frete gratis
comprar direto da china para revender
comprar celulares da china

Visite o Site:
http://www.onlinerenda.com.br/importar-da-china.htm
ebookrevenda@gmail.com

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails