16 de abr de 2009

Não há mais tempo para o Desenvolvimento Sustentável

Esta noticia vem da Agência Brasil, Brasília - DF, de autoria da jornalista Amanda Mota.

Pesquisador em meteorologia pelo Insituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Meteorologia, Prakki Satyamurty defende que o mundo adote outro caminho para reverter o quadro de destruição do meio ambiente que tem como conseqüência as mudanças climáticas.
Para ele, o desenvolvimento sustentável já não é o caminho mais aconselhável para a reversão desse quadro. A saída agora, segundo Satyamurty, seria a retirada sustentável, ou seja, a diminuição drástica do consumo de recursos naturais, aliada a um controle de natalidade que levasse a um crescimento menos acelerado do número da população mundial.
Ao falar sobre o tema escolhido pela Organização Meteorológica Mundial para marcar o Dia Mundial Meteorologia de 2009 - Tempo, clima e ar que respiramos - o pesquisador disse que a capacidade do planeta Terra de suportar o uso que se faz dos recursos naturais está cada vez mais limitada.
Por isso, Satyamurty defende que o consumo de recursos naturais deveria ser menor ou igual à reposição dessas riquezas ambientais na natureza. Segundo ele, a exploração dos recursos naturais pela população mundial já ultrapassou a capacidade de oferta do meio ambiente em escala global.
"Já passou o tempo do desenvolvimento sustentável. Agora é tempo de fazer uma retirada sustentável, ou seja, temos que retirar, gradativamente, por exemplo, o número de automóveis das ruas. Tudo o que foi colocado em excesso e hoje contribui para a destruição do meio ambiente precisa sair de cena. Esse é um assunto muito polêmico, mas as autoridades precisam parar e pensar em tudo o que está acontecendo. O mundo tem que mudar para melhor", observou.
Satyamurty participou, neste semana, da programação realizada pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA) em alusão ao Dia Mundial da Meteorologia, comemorado em 23 de março.
Em palestra a estudantes da universidade, o pesquisador polemizou as estratégias pensadas em escala mundial para lidar com os diversos problemas causados pelas mudanças climáticas, como a falta de água. Segundo ele, a população mundial quadruplicou em 50 anos e o aumento da temperatura da superfície terrestre, do nível dos oceanos, bem como a poluição de todos ambientes são as principais conseqüências desse crescimento populacional.
Ainda de acordo com o pesquisador indiano, assim como foi criado o mercado do crédito de carbono, também deveria existir o crédito de população. Para ele, outra missão das autoridades é o reflorestamento.

Ou seja, mesmo considerando corajosa e pertienente a colocação do pesquisador, o fato é que a sustentabilidade será sempre um alvo, um objetivo que, talvez, nunca alcancemos de fato. Mas é a sua construção, o seu debate, as suas lutas que serão capazes de pôr uma lupa sobre os reais interesses e capacidades dos principais interlocutores envolvidos. Daí a nossa opção por inserir essa imagem tirada do Flickr e de autoria de um certo Cobra_11 (nick com um certo apelo ambiental). Essa imagem-texto reflete bem o que propomos neste grupo e neste blog: publicidade entendida como debate público acessivel a todos.

1 comentários:

Vitório Tomaz disse...

Hoje de manhã fizemos um debate sobre Aquecimento Global, e por incrivel que pareça ainda tem muita gente cética ao assunto.
Fico pensando em como mostrar para estas pessoas que não é mais uma grande conspiração, mas as vezes desanima, por que nem o minimo elas fazem, quem dera Retirada Sustentável

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails