5 de ago de 2009

Sansung lança celular movido a energia solar

A Samsung acaba de lançar no Brasil, em parceria com a TIM, um telefone móvel com energia solar.

"É o primeiro do mercado", afirma Silvio Stagni, vice-presidente da Divisão de Telecomunicações da empresa. "Além da bateria normal, a placa traseira é formada por células solares."

Ainda não é possível, no entanto, falar ao telefone usando somente energia luminosa. Cada hora de carregamento ao sol equivale a 8 a 10 minutos de conversação. "É mais para uma situação em que a bateria está acabando", explicou Stagni.

O preço sugerido do aparelho Crest Solar, em planos pré-pagos, é de R$ 199. "Ele tem o mesmo preço de aparelhos com as mesmas funções, mas sem a preocupação com o impacto no meio ambiente.


Existem outros aparelhos no mercado com essa preocupação. Em março, a Motorola lançou no Brasil o W233 Eco, fabricado com material reciclado de garrafas plásticas e com certificado de neutralização de carbono. O aparelho tem preço sugerido de R$ 199.

Andréia Vasconcelos, gerente de marketing da Motorola, destacou a importância de o produto estar posicionado numa faixa menor de preço, tornando-o mais acessível. "O aparelho é reciclado e reciclável."

Para Rogério Takayanagi, diretor de Marketing da TIM, a sustentabilidade é uma maneira importante de a operadora se diferenciar num mercado competitivo como o de telefonia celular. "É necessário trabalhar o nível de preferência e de rejeição do consumidor", explicou o executivo. "Há uma rejeição muito grande às empresas, por causa de problemas de atendimento. A sustentabilidade mostra um compromisso de mais longo prazo."

A Nokia vende em outros mercados o modelo 3110 Evolve, que ainda não tem previsão de ser lançado no país. Ele é produzido com materiais reciclados e consome menos energia ao ser recarregado. "Esse modelo é só a ponta de lança, que leva a uma mudança na cadeia de fornecimento como um todo", explicou Gustavo Jaramillo, diretor de Serviços da Nokia. "Em breve, essas características devem ser adotadas na linha toda."

Leia matéria do Estadão na íntegra aqui.


3 comentários:

Murilo disse...

Tenho visto muito sobre carros elétricos também. Parece que tão investindo pesado no modelo híbrido com álcool. Será que as gigantes de combustível fóssil estão inquietas?

Conceição disse...

Legal Murilo... vamos trocando idéias pq essa é melhor parte da universidade

Claudio Eduardo disse...

Guardadas as proporções tecnológicas, diferente dos "Ecocarros" e muitos outros "eco-produtos" esse celular veio com um preço acessível, o que me surpreendeu.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails